PERIGO DE INCÊNDIO RURAL- 26 DE MARÇO 2021


De acordo com a informação disponibilizada pelo Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA), para as próximas 72 horas, prevê-se um quadro meteorológico de tempo seco, com aumento gradual dos valores de temperatura máxima e vento de quadrante Leste, realçando-se os seguintes aspetos:

  • Humidade relativa BAIXA durante a tarde. Recuperação noturna a diminuir gradualmente.
  • Vento do quadrante Norte, rodando para o quadrante Leste a partir de dia 27, com brisa no litoral durante a tarde e sendo moderado a forte até 40 km/h durante a noite e manhã nas terras altas.
  • Subida da temperatura nos dias 27 e 28 março, com acentuada amplitude térmica, devendo manter-se até ao dia 1 abril.
  • Este cenário meteorológico traduz-se num aumento dos índices de risco de incêndio até à próxima quarta-feira, dia 31 de março, com condições favoráveis à rápida propagação de incêndios.

 

EFEITOS EXPECTÁVEIS

Em função da previsão das condições meteorológicas é expectável:

Tempo seco com condições favoráveis à eventual ocorrência e propagação de incêndios rurais.

 

MEDIDAS PREVENTIVAS

Recorda-se que, de acordo com as disposições legais em vigor:

  • A realização de queimadas extensivas só é permitida após autorização da Autarquia local;
  • Para os locais onde o índice de risco temporal de incêndio seja de nível muito elevado ou superior:
  • A queima de matos cortados e amontoados e qualquer tipo de sobrantes de exploração, está também sujeita a autorização da autarquia local, devendo esta definir o acompanhamento necessário para a sua concretização, tendo em conta o risco do período e zona em causa.
  • Para a sua realização deverão ser assegurados os cuidados estabelecidos em https://fogos.icnf.pt/.../InformacaoPubli.../Queima_2019.jpg.




MEDIDAS PREVENTIVAS EM DIAS DE ELEVADA PRECIPITAÇÃO  E VENTO


Nos dias em que se verificam níveis elevados de precipitação e vento, como medidas preventivas, o Serviço Municipal de Proteção Civil recomenda o seguinte:

- Garantir a desobstrução dos sistemas de escoamento das águas pluviais e retirada de inertes e outros objetos que possam ser arrastados ou criem obstáculos ao livre escoamento das águas;

- Adotar uma condução defensiva, reduzindo a velocidade e tendo especial cuidado com a possível formação de lençóis de água e gelo nas vias;

- Não atravessar zonas inundadas, de modo a precaver o arrastamento de pessoas ou viaturas para buracos no pavimento ou caixas de esgoto abertas;

- Garantir uma adequada fixação de estruturas soltas, nomeadamente, andaimes, placards e outras estruturas suspensas;

- Ter especial cuidado na circulação e permanência junto de áreas arborizadas, estando atenta para a possibilidade de queda de ramos ou árvores, em virtude de vento mais forte;

- Ter especial cuidado na circulação junto da orla costeira e zonas ribeirinhas historicamente mais vulneráveis a inundações rápidas;

- Não praticar atividades relacionadas com o mar, nomeadamente pesca desportiva, desportos náuticos e passeios à beira-mar, evitando ainda o estacionamento de veículos na orla marítima;  

- Estar atento às informações da meteorologia e às indicações da Proteção Civil e Forças de Segurança.




MEDIDAS PREVENTIVAS PARA DIAS FRIOS


Nos dias em que se verificam baixos valores de temperatura mínima, como medidas preventivas, o Serviço Municipal de Proteção Civil recomenda o seguinte:

 

- Evite a exposição prolongada ao frio e às mudanças bruscas de temperatura;

- Use várias camadas de roupa, folgada e adaptada à temperatura ambiente;

- Proteja as extremidades do corpo (usando luvas, gorro, meias quentes e cachecol);

- Ingira sopas e bebidas quentes, mas evite o álcool, que proporciona uma falsa sensação de calor;

- É necessária especial atenção para com o vestuário de trabalhadores que exerçam a sua atividade no exterior e que evitem esforços excessivos resultantes dessa atividade;

- Atenção aos aquecimentos com combustão (ex: braseiras e lareiras), que podem causar intoxicação e levar à morte;

- Assegure uma adequada ventilação das habitações, quando não for possível evitar o uso de braseiras ou lareiras;

- Evite o uso de dispositivos de aquecimento durante o sono, desligando sempre quaisquer aparelhos antes de se deitar;

- Adote uma condução defensiva em locais onde se forme gelo na estrada;

- Especial atenção, por parte das famílias, vizinhos e das redes sociais de proximidade, com as situações de pessoas em condição de maior isolamento e grupos de risco, como idosos, crianças e pessoas portadoras de patologias crónicas.





inicio do ano hidrologico.jpg