AS CRIANÇAS E A COVID-19

INFORMAÇÃO DA UNIDADE LOCAL DE SAÚDE DE ALCÁCER DO SAL

12 june 2020


A infeção pelo novo coronavírus entre as crianças tem um baixo grau de contágio, sendo uma doença muitas vezes sem sintomas e que muito raramente tem manifestações graves.

- Qual o motivo para as crianças reagirem de forma diferente dos adultos?

As crianças apresentam uma imunidade congénita muito ativa, que funciona como um exército “indiferenciado”, com uma enorme capacidade de combater qualquer agente infecioso. As defesas mudam com os anos; a imunidade congénita é substituída pela imunidade adquirida, mais específica, ou “exército mais diferenciado”, que resulta da memória imunológica das infeções que vamos tendo ao longo da vida. Aparentemente, a resposta imunologia congénita (predominante nas crianças) é mais eficaz na resposta à infeção pelo novo coronavírus, não permitindo a sua progressão para doença grave.

A criança tem também menos pontos de ligação para o vírus, chamados recetores, por isso tem uma menor probabilidade de resultar em doença e, sobretudo, em doença grave. A quantidade destes recetores aumenta com a idade nas células de vários órgãos.

Outro facto que pode justificar a menor gravidade da doença na infância é que, muitas vezes, a criança sofre de infeções simultâneas por mais do que um vírus por mexerem em tudo, partilharem tudo e levarem tudo à boca.

Podemos dizer que é uma doença mais leve nas crianças, mas é importante que as protejamos na mesma.