SAÚDE AMBIENTAL E COVID-19 (I)

INFORMAÇÃO DA UNIDADE LOCAL DE SAÚDE DE ALCÁCER DO SAL

10 july 2020


O Centro para o Controlo de Doenças do Governo dos EUA - CDC oficializou as evidências científicas emergentes sobre a transmissão do coronavírus, sendo que muitas destas se prendem com aspetos de saúde ambiental ligados à ventilação, higienização, climatização, exposição solar, gestão de resíduos, disponibilidade de água em quantidade e qualidade, circuitos, entre outros. Para perceber a importância destes aspetos é importante fazer um resumo das tais evidências. Aqui ficam:

 

A carga de vírus necessária para iniciar a doença é de cerca de 1000 partículas virais, sendo que:

1. A Respiração liberta, aproximadamente, 20 partículas virais por minuto;

2. A Fala, aproximadamente, 200 partículas virais por minuto;

3. E a Tosse e Espirro libertam, aproximadamente, 200 milhões de partículas virais (o suficiente para causar doença pode permanecer no ar por horas num ambiente mal ventilado).

 

Em função destes aspetos obtemos uma Classificação do Risco para várias situações do dia a dia. Assim, com baixo risco temos:

·         Atividades ao ar livre de uma forma geral;

·         Estar próximo de alguém (cerca de 2m de distância), mas se o limite de tempo for inferior a 45 minutos;

·         Conversar com alguém frente a frente (com máscara), se o limite for inferior a 4 minutos;

·         Alguém cruzar-se connosco andando/ correndo/ ou de bicicleta;

·         Permanecer em espaços bem ventilados, com distanciamento.

 

Como risco médio temos a realização de compras, embora se possa reduzir para baixo limitando o tempo e seguindo regras de higiene.

 

De alto risco temos:

·         Permanecer em espaços fechados partilhados, por exemplo, para reuniões, culto religioso, cinema ou teatro;

·         Frequentar instalações sanitárias, balneários públicos ou outras áreas comuns, sendo que nestes espaços o risco de contaminação através de objetos e superfícies é igualmente muito alto, para além das questões de proximidade entre utilizadores;

·         Frequentar restaurantes (pode reduzir a médio risco sentando-se ao ar livre com distanciamento e diminuindo o toque nas superfícies);

·         Permanecer nos locais de trabalho ou escolas (mesmo com distanciamento social), incluindo alto risco de contaminação através de objetos e superfícies;

·         Frequentar festas e casamentos;

·         Participar em redes de negócios e conferências com presença física;

·         Assistir a concertos ou outros espetáculos em Arenas ou Estádios.

 

Os fatores principais que todos podemos usar para calcular o nosso risco dependem das nossas escolhas, nomeadamente:

1.    interior vs exterior;

2.    espaços exíguos vs espaços amplos bem ventilados e com boa exposição solar;

3.    alta densidade de pessoas vs baixa densidade;

4.    exposição mais longa vs exposição breve.