Candidatura apresentada pelo Município a investimentos comunitários foi aprovada

Corredor Ciclável do Forno da Cal

11 janeiro 2017


O município de Alcácer do Sal viu aprovada mais uma candidatura no âmbito do Plano Estratégico de Desenvolvimento Urbano Sustentável de Alcácer do Sal.

Depois da aprovação do projeto de construção do Corredor Ciclável da Quintinha, em execução e com um investimento elegível de 98.432,87 euros a que corresponde um apoio de verbas comunitárias (FEDER) de 83.667,94 euros, foi aprovado no dia 4 de janeiro o projeto que vai concretizar o Corredor Ciclável do Forno da Cal, com um investimento elegível de 21.899,18 euros a que corresponde um FEDER de 18.614,30 euros. As obras visam a promoção da mobilidade urbana sustentável e a "viabilização de deslocações de natureza quotidiana dos bairros periféricos - Bairro da Quintinha e Bairro do Forno da Cal - com a zona ribeirinha/ centro histórico da cidade, potenciando também uma utilização mais intensa do corredor ciclável já existente na zona ribeirinha poente".

Outro projeto que o Município de Alcácer do Sal candidatou e já obteve financiamento assegurado é a requalificação do Museu Pedro Nunes num espaço museológico adequado às suas funções. A consignação da empreitada realiza-se no próximo dia 16 de janeiro. A obra visa tornar o Museu Municipal Pedro Nunes um espaço adequado às suas funções, sem desvirtuar o que outrora foi a Igreja do Espírito Santo, edifício classificado como património de interesse público. Esta obra, há muito reclamada pelos alcacerenses, vai agora ser uma realidade com um investimento elegível de 775.140,38 euros, a que corresponde uma comparticipação do FEDER de 658.869,32 euros.

Encontram-se submetidas mais duas candidaturas que aguardam a deliberação quanto à sua aprovação: a iluminação cénica do património histórico do concelho de Alcácer do Sal (cujo investimento elegível é de 138.692,85 euros) e a Reabilitação da Escola Básica n.º1 de Alcácer do Sal – Escola dos Telheiros (com o investimento elegível de 1.265.907,44 euros). Ambas as operações têm enquadramento no Pacto para o Desenvolvimento e Coesão Territorial do Litoral Alentejo.