Marcha lenta no IC1 entre Alcácer do Sal-Grândola com centenas de veículos

04 abril 2016


Centenas de veículos participaram na passada sexta-feira (1 de abril 2016) numa marcha lenta no Itinerário Complementar (IC) 1, entre Alcácer do Sal e Grândola, numa iniciativa em que foi exigida a intervenção do primeiro-ministro para desbloquear as obras de reparação da estrada. 

"Eu apelo diretamente ao primeiro-ministro [António Costa]. É extraordinariamente perigoso o que se está a passar, ou seja, a estrada continuar nestas condições", disse à agência Lusa o presidente da Câmara de Alcácer do Sal, Vítor Proença. O autarca, tal como o presidente da Câmara de Grândola, António Figueira Mendes, participaram na marcha lenta, promovida pela Comissão de Utentes do IC1 de Alcácer do Sal e Grândola, para exigir a "reparação urgente" do troço daquela estrada que atravessa os dois concelhos, no distrito de Setúbal. 

O protesto contou com "centenas de veículos", segundo o autarca Vítor Proença. Os participantes arrancaram das duas sedes de concelho, em simultâneo, e encontraram-se na zona de Albergaria.  "Aderiu muita gente e o trânsito foi fortemente condicionado", frisou o Presidente da Câmara Municipal de Alcácer do Sal, Vítor Proença, explicando que, apesar da perturbação causada, da parte dos restantes automobilistas que circulavam no IC1 à hora do protesto "houve muita compreensão". "Quem aqui circula sabe que esta estrada é extraordinariamente perigosa", acrescentou, defendendo que é necessária "a urgente reparação" da via para "evitar mais acidentes" e deixando um apelo ao primeiro-ministro. "É preciso uma intervenção ao mais alto nível para desbloquear este processo, para que avancem as obras", realçou, afirmando não acreditar no início da empreitada no final do ano, prometido, a 18 de março, pelo secretário de Estado das Infraestruturas, Guilherme W. d´Oliveira Martins. 

Também em declarações à Lusa, Manuel Rocha, da Comissão de Utentes do IC1, congratulou-se com a "excelente participação" na marcha lenta, que começou a desmobilizar "por volta das 19h20". Nesta ação, destacou, foi aprovada uma resolução que vai ser agora enviada ao Governo e aos partidos da Assembleia da República."O documento exige a reparação urgente da estrada, porque estamos fartos de promessas e de uma 'mão cheia de nada' ", referiu. 

A reparação "urgente" do troço do IC1 entre Alcácer do Sal e Grândola tem sido repetidamente reclamada ao longo dos últimos anos, pela população e pelos autarcas, tendo a marcha lenta de dia 1 sido a terceira ação de protesto do género naquela via.