Requalificação do Museu Pedro Nunes revelou melhoramentos antigos

Em 2017 foi descoberto altar que revelou duas fases de construção

18 abril 2019

Ao longo dos anos, o espaço que agora acolhe o renovado Museu Municipal Pedro Nunes sofreu várias intervenções e melhoramentos, visíveis nas mais recentes obras de requalificação. A primeira das quais terá sido ainda no séc. XVI.

No ano de 1564 foram efetuadas as chamadas Visitações à Casa do Espirito Santo que revelaram, na altura, uma igreja bastante degradada. Mesmo assim, na fachada sul, virada para a Praça Pedro Nunes, ainda podemos ver duas janelas em fresta que chegaram à atualidade.

Em 1748 existe a referência à Ermida do Divino Espirito Santo, com vários “espiques” no Coro junto ao telhado, que ameaçava ruir e, em 1752, a visitação aí realizada refere a sua reparação e a construção por parte de um devoto de uma capela dedicada a Santo António. Estas alterações não terão sido as últimas a ser realizadas, tendo em conta que o Terramoto de 1755 terá afetado bastante a estrutura desta igreja, tendo sucedido o mesmo a muitos dos edifícios existentes em Alcácer do Sal. Será desta época a construção do altar-mor, em estuque de várias cores, assim como a edificação dos altares laterais, de talha policroma, e ainda o acesso ao púlpito e à torre da igreja.

Durante a requalificação em 2017 foi descoberta parte de uma das “frestas altas” que se encontrava revestida a estuque pintado de vermelho. Esta fresta está na sua grande maioria entaipada por um altar que revela duas fases de construção. No decorrer destes trabalhos foi também possível identificar e, em alguns casos, pôr a descoberto várias paredes reconstruídas, assim como altares, portas, janelas e nichos, até aqui entaipados. Estas descobertas confirmam as muitas alterações que ocorreram no edifício, e ajudam a compreender a evolução que a igreja do Espírito Santo foi sofrendo ao longo dos tempos.

No primeiro ano de funcionamento as entradas serão gratuitas. Os horários de visita ao Museu Pedro Nunes são os seguintes:

Horário de inverno - das 9h às 12h30, com a última entrada às 12h; das 14h às 17h30, com a última entrada as 17h.

Horário de verão (meses de junho, julho e agosto) - das 9h30 às 13h, com a última entrada às 12h30; das 15h às 18h30, com a última entrada às 18h.

O Museu Pedro Nunes encerra à segunda-feira.