RESPOSTA EM MEDICINA INTENSIVA NA FASE DE MITIGAÇÃO

COVID-19

26 março 2020


Considerando a reorganização dos recursos humanos e materiais afetos à prestação de cuidados no sistema e no Serviço Nacional de Saúde (SNS) para dar resposta à avaliação e tratamento dos doentes COVID-19, importa continuar a adaptar a abordagem clínica dos doentes com suspeita e infeção confirmada por SARS-CoV-2 no SNS, em especial aos casos mais graves, como os doentes críticos com necessidade de cuidados intensivos.

Nesta fase de mitigação, a Direção-Geral da Saúde determina, assim, a reorganização das atividades dos Serviços de Medicina Intensiva, de modo a disponibilizar a equipa clínica para atividade assistencial nas Unidade de Cuidados Intensivos. Para tal, será necessário um conjunto de garantias pelas Administrações Regionais de Saúde, Conselhos de Administração dos Centros Hospitalares, Hospitais, Unidades Locais de Saúde e unidades equiparadas de todo o sistema de saúde, que podem ser consultadas em  https://www.dgs.pt/directrizes-da-dgs/normas-e-circulares-normativas/norma-n-0052020-de-26032020-pdf.aspx