Segundo a documentação existente, a Feira do Torrão realizava-se inicialmente no sítio do Sado, provavelmente em São Romão, no dia 10 de agosto, tendo sofrido depois um interregno.


No início do século XVIII, o juiz e mordomos da Confraria de Nossa Senhora do Bom Sucesso (localizada na ermida de São João dos Azinhais) enviaram uma petição a solicitar ao rei D. João V licença para que, no sítio de São João, tivesse lugar no dia 5 de agosto uma feira anual, cujas receitas reverteriam para a confraria. A favor desta petição estava o Provedor da Câmara de Beja e a vereação da Câmara do Torrão.


Após os pareceres favoráveis foi passado um Alvará datado de 12 de julho de 1718, pagando-se ao tesouro régio as custas do processo, superior a 200 réis. Pouco depois tinha lugar a primeira feira no adro da dita ermida. Uma década volvida, em 1729 é referido que a feira anual tinha lugar no dia 2 de agosto, desta vez na vila do Torrão num terreno alugado pela Confraria do Bom Sucesso. Por Provisão Régia de D. João V, datada de 24 de março de 1729, foi determinado que o dinheiro obtido pelo terreno arrendado para a feira seria usado para erguer uma Ermida à Nossa Senhora do Bom Sucesso, no sítio do Mosteiro Velho, como era desejo da confraria.


Desde o século XVIII até ao presente pouco mais se sabe sobre a história deste evento para além de que, no decurso do século XX, o local de realização do certame era junto a São Roque e Fonte Santa, passando para a atual localização junto à Ermida no presente século.