Por todo o Baixo Alentejo são muitas as pessoas que dizem ouvir, por vezes, o som de uma máquina de costura que trabalha sem parar. Diz quem ouve que o som é tão nítido que se pode mesmo reconhecer o som do pedal da máquina e da linha a partir. Estes inexplicáveis sons deram origem à Lenda da Costureirinha, história de que podemos ouvir várias versões se percorrermos o concelho.

 

Segundo uma das versões, em tempos que já lá vão, uma certa costureira fez um vestido de noiva para a filha, mas esta morreu antes do casamento. Cheia de tristeza, a senhora terá continuado a costurar por toda a eternidade.

 




Numa outra versão da história, uma costureira tinha um marido alcoólico, sendo obrigada a trabalhar dias a fio, sem parar, para poder sustentar a família. Reza a lenda que nem mesmo depois de morta terá parado de costurar.

 




Conta-se ainda que uma certa costureira adoeceu gravemente. Com intuito de recuperar a sua saúde prometeu que doaria a sua máquina de costura caso melhorasse. Porém, assim que recuperou esqueceu-se do prometido, por isso quando faleceu, como castigo, foi obrigada a continuar a costurar.





Por fim, numa outra versão da lenda, uma costureira prometeu fazer um manto para oferecer a Nossa Senhora. Como não o fez, depois de morta foi condenada a levar uma vida errante até cumprir a sua promessa.